Como as drogas agem no nosso corpo?

16/10/2019 14:04

Drogas são substâncias químicas naturais ou sintéticas e provocam reações no nosso corpo de maneiras diferentes. Na medicina, as drogas são aquelas que previnem ou tratam doenças. Na farmacologia, é aquilo que afeta o corpo de alguma forma. 

No senso comum, são substâncias ilícitas que viciam e afetam o organismo de maneira negativa. Ou seja, um descongestionante nasal e a heroína são drogas, mas um é benéfico para a sua saúde, já o outro não.

Algumas  substâncias que podem agredir o nosso corpo, mas, mesmo assim, são consideradas lícitas, como o tabaco, e o álcool. Inclusive, o álcool é um dos produtos que mais causa mortes no mundo. Todavida, você sabe como as drogas agem no nosso corpo? 

Quem faz o uso de substâncias ilícitas coloca a própria saúde em risco, pois os efeitos do abuso causam inúmeras consequências. Afetam também o sistema nervoso central, pois causam dependência. 

Dependendo da profissão, o indivíduo pode colocar em risco a vida de outros, como é o caso dos caminhoneiros. Muitos fazem uso de substâncias ilícitas e se forem pegos no exame toxicológico para renovar a carteira, ou até para um emprego novo, o profissional terá problemas com os órgãos responsáveis

Nesse caso,é possível que o motorista possa vir a, perder o emprego. Todavia, saiba que: o exame toxicológico tem uma janela de detecção larga. Ou seja, o teste detecta substâncias ilícitas no corpo nos 90 ou mais dias após o uso. 

Contudo, as drogas agem de maneira diferente no nosso corpo, como depressão, estimulação e perturbação. Veja como:

Como as drogas depressoras agem no nosso corpo

Essas substâncias apresentam reações com uma baixa na atividade cerebral, e o resultado disso a curto prazo é a lentidão na fala e coordenação, confusão mental, dificuldade para lembrar e tomar decisões, diminuição da sensibilidade e estímulos externos. 

Em hospitais, os depressores são usados de forma controlada para diferentes fins. São eles: anestésicos, sedativos e morfina. Outros depressores são o álcool, solventes voláteis, erva cidreira, maconha e outros. Um dos efeitos mais prejudiciais do abuso dessas substâncias é o coma, que pode levar à morte. 

O álcool ataca o sistema nervoso central que vai ser alterado com uso imediato, promovendo relaxamento e agitação. Depois o corpo terá dificuldades para falar, raciocinar e andar, devido à lentidão de reflexos.

A longo prazo, o álcool pode causar cirrose, uma doença no fígado caracterizada por lesões que se cicatrizam. A partir disso, o fígado passa a não funcionar normalmente e perde a sua função. 

O grande perigo da cirrose é o fato da doença ser silenciosa e o indivíduo pode passar anos sem saber que a adquiriu. Outro ponto negativo é que não há cura e o transplante pode ser uma alternativa.

É de grande importância ressaltar a existência de duas classes de drogas depressoras: barbitúricos e benzodiazepinas. O primeiro depressor, tal como a anestesia e o sedativo, é capaz de aliviar os sintomas de algumas doenças. 

Antes eram usados para o meio médico, mas hoje algumas drogas desta categoria são usados como drogas recreativas, o que as tornam ilícitas e apresentam alto risco de overdose.

Já as benzodiazepinas são menos tóxicas que as barbituratos. Apesar de terem um risco menor de overdose, a dependência é o principal problema. 

Se usada constantemente, as benzodiazepinas podem apresentar as seguintes consequências: psicose, depressão, alucinações, agitação, aumento da ansiedade e outros. 

As drogas estimulantes agem diferente no nosso corpo 

São drogas que aceleram e estimulam a atividade do sistema nervoso central, fazendo com que o cérebro fique mais ativo e com menos sono. Algumas substâncias desta categoria são a cafeína e cocaína.Há também as drogas fabricadas em laboratório, como é o caso da anfetamina, chamadas de rebite, e da metanfetamina. 

A forma de uso dos estimulantes varia, pois podem ser consumidas por meio de comprimidos, ou de forma injetável e até pó, podendo ser aspirado pelo nariz. 

Considera-se que os principais usuários das anfetaminas sejam estudantes ecaminhoneiros, principalmente abusando do rebite, pois querem estar acordado para cumprir uma longa jornada de trabalho ou estudar para alguma prova importante. 

Bom, os efeitos imediatos da droga no corpo é de euforia, foco, falta de fome e sono, além de diminuir a sensação de cansaço. Com isso, os batimentos cardíacos e pressão arterial aumentam. Um dos grandes riscos dos estimulantes é o grave aumento da temperatura corporal, que pode levar à convulsões. 

A longo prazo o indivíduo começa a enfrentar insônia e perda de apetite. Nesse contexto, também há a sensação de alerta e, com isso, o corpo acostuma a funcionar acima da sua capacidade. 

O uso contínuo pode causar impotência e disfunções sexuais, assim como a ejaculação precoce. Quanto aos efeitos psíquicos, sabe-se que a pessoa fica mais irritada, podendo conter alucinações ou não. 

Drogas pertubadoras 

São aquelas que causam distorção da realidade no cérebro, causando falta de noção de espaço e tempo, além da perda da noção dos cinco sentidos. Exemplos clássicos e naturais são o cannabis sativa, ópio e cogumelos alucinógenos.

Sintaticamente, são produzidos LSD e ecstasy. Algumas outras drogas são consideradas semi-sintéticas e tem como exemplo a heroína, cocaína e crack. 

Afinal, qual é a conclusão?

No contexto legislativo, vale lembrar que o uso e transporte de drogas é ilegal, como prevista na lei Lei n.6368/76, artigo 12, e prevê medidas legais, tais como penas e multas. 

Consumir drogas causa doenças, muitas vezes irreversíveis aos nosso corpo, e pode até levar à morte. E saiba que as drogas causam dependência e interferem de maneira negativa na vida social e no convívio familiar, já que provocam comportamentos anormais.

Gostou do conteúdo sobre drogas e quer saber mais? Veja mais informações sobre o rebiteno nosso blog!